Notícias

Fila para marcar exames na rede municipal cai 50% em uma semana de ‘Corujão’

Foram agendados 243,5 mil procedimentos para os pacientes que aguardavam na lista de espera

De Secretaria Especial de Comunicação

Em apenas uma semana de “Corujão da Saúde”, a fila de pacientes que aguardam por agendamento de exames na rede pública municipal caiu 49,8%, saindo de 485,3 mil para 241,8 mil. Durante esse período, as 675 unidades de saúde municipais marcaram 243,5 mil exames para os pacientes do programa, o que representa média de 360,7 agendamentos por unidade.

Do total de exames, 137,1 mil (ou 53,3%) foram agendados para janeiro. Outros 79,9 mil (32,8%) foram marcados para fevereiro; 20,6 mil (8,5%) para março; e os 5,9 mil restantes para o início de abril. As marcações são feitas pelas próprias unidades de origem nos pacientes, conforme a disponibilidade da oferta para o “Corujão”. Desde o último dia 10, quase 25 mil exames foram realizados.

Com os novos hospitais privados que estão aderindo ao programa, a secretaria conseguirá cumprir a meta de zerar a fila por exames no prazo de 90 dias, contados desde 10 de janeiro. Ao final do “Corujão”, nenhum paciente deverá estar aguardando por exames por mais de 30 dias na rede municipal.

A partir desta semana, passam a integrar o “Corujão” os hospitais Albert Einstein, Edmundo Vasconcelos, Sepaco, Santa Casa de Santo Amaro, Santa Marcelina de Itaquera e Cruz Azul. A Santa Casa também confirmou que fará exames, além das consultas de reavaliação daqueles pacientes que estão na lista há mais de seis meses. 

Outras instituições que deverão, gradativamente, entrar no programa são o Instituto Arnaldo Vieira de Carvalho, Cetrus, Dasa-Lavoisier, Hospital Santa Joana, Dr. Consulta, Hospital Santo Antônio (Beneficência Portuguesa), Aviccena, Hospital Presidente, Megamed e Tadao Mori. 

Juntas, essas 20 unidades do setor privado ofertaram à Secretaria Municipal de Saúde pelo menos 61,6 mil exames, mas o número ainda deve aumentar. Além dessas vagas, a pasta está utilizando sua rede própria para atender ao “Corujão da Saúde”. Duas instituições privadas –Fidi e Cies– que gerenciam o parque radiológico municipal por toda a cidade ampliaram o volume da oferta de exames, entre tomografias, ressonâncias, ultrassons, ecocardiogramas e outros, para atender aos pacientes do programa.

A secretaria continua trabalhando para ampliar a oferta e garantir atendimento para todos no prazo de 90 dias contados a partir de 10 de janeiro. O prefeito ressalta a importância para a capital de parcerias com as empresas e se coloca à disposição de outros representantes da iniciativa privada que desejarem contribuir com a cidade.

O atendimento do “Corujão” na rede própria municipal não compete com os novos pacientes que necessitam de exames. Os novos pacientes não vão para o “fim da fila”, pois parte da rede está dimensionada para atendê-los.

No último dia 6, a secretaria publicou no Diário Oficial do Município chamamento público universal para hospitais e laboratórios privados interessados em aderir ao “Corujão”. “Sentimos que as instituições estão entusiasmadas e querem participar desta grande ação para acabar com a fila de espera por exames na rede pública municipal. E isso é só o começo. Temos muito trabalho pela frente e estamos confiantes”, diz o secretário municipal de Saúde, Wilson Pollara.

Os horários dos exames para o “Corujão” irão variar conforme a disponibilidade e capacidade ociosa de cada instituição parceira. A marcação de procedimentos na madrugada será exceção.

Leia também:
‘Corujão da Saúde’ já tem 20 hospitais parceiros
Programa “Corujão da Saúde” começa a realizar exames
Prefeitura firma convênio para consultas de reavaliação do “Corujão da Saúde”