Secretaria Municipal da Saúde

menu Menu do Site

Coronavírus

Orientações sobre o novo coronavírus e HIV/Aids

Pra Cego Ver: Banner com fundo cinza azulado, com ilustrações de vírus ao fundo. Em branco, há o texto Orientações sobre o COVID-19 novo coronavírus. Abaixo, dentro de uma caixa azul, há o texto em branco: Prevenção e Informação nas redes. No rodapé da imagem, há os logos de diversas redes sociais com o @saudeprefsp e ao lado o site da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo.

Pra Cego Ver: Arte composta por duas caixas, sendo uma cinza ao fundo e outra vermelha em primeiro plano. Dentro da caixa vermelha, há duas setas brancas para direita e o texto em branco Prevenção
As orientações de prevenção para as Pessoas Vivendo com HIV/Aids (PHVA) sobre o novo coronavírus são as mesmas que para toda população:

• Ao sair de casa, use máscara, que pode ser de pano feita em casa.
• Lavar bem as mãos, usando água e sabão ou álcool gel, com muita frequência;
• Evitar tocar nos olhos, nariz e boca;
• Não compartilhar objetos de uso pessoal como talheres, copos e escova de dentes;
• Evitar aglomerações;
• Evitar viagens e deslocamentos;
• Cobrir sempre o nariz e a boca ao tossir ou espirrar;
• Utilizar lenços descartáveis e jogue-os no lixo após o uso.
 

Os principais sintomas do coronavírus são tosse, febre e/ou dificuldade para respirar.

Se você tiver algum desses sintomas, permaneça em casa sempre que possível. Somente em casos graves você deve ir ao hospital. Saiba mais na página sobre o coronavírus da Secretaria Municipal da Saúde.

Os pacientes vivendo com HIV/Aids imunodeprimidos devem continuar seguindo as mesma orientações de antes do início da epidemia do coronavírus. Converse com seu médico(a).

 

Vacinação

 

O HIV foi incluído na lista de comorbidades prioritárias para a vacinação contra a covid-19 pelo Ministério da Saúde.

Pessoas Vivendo com HIV/Aids (PVHA) podem se vacinar. Em decorrência da quantidade de doses de vacinas disponíveis, há uma organização por idade para todas as comorbidades.

Na cidade de São Paulo, as PVHA deve se vacinar no Serviço de Atenção Especializada (SAE) em IST/Aids em que fazem o acompanhamento para HIV.

Leia orientações adicionais sobre a vacinação contra covid-19 para PVHA.
 


Pra Cego Ver: Arte composta por duas caixas, sendo uma cinza ao fundo e outra vermelha em primeiro plano. Dentro da caixa vermelha, há duas setas brancas para direita e o texto em branco TARV

A partir da recomendação do ofício nº 8/2020 do Departamento de Doenças de Condições Crônicas e infecções sexualmente transmissíveis (DCCI), do Ministério da Saúde, a Coordenadoria de IST/Aids da Cidade de São Paulo decidiu ampliar o período de dispensação de medicamentos da terapia antirretroviral (TARV) para 90 dias.


Pra Cego Ver: Arte composta por duas caixas, sendo uma cinza ao fundo e outra vermelha em primeiro plano. Dentro da caixa vermelha, há duas setas brancas para direita e o texto em branco PrEP
Também em consonância ao ofício ofício nº 8/2020 do Departamento de Doenças de Condições Crônicas e infecções sexualmente transmissíveis (DCCI), do Ministério da Saúde, a Coordenadoria de IST/Aids da Cidade de São Paulo decidiu ampliar o período de dispensação de medicamentos da Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) para 120 dias para pessoas que já estão em acompanhamento, junto de cinco kits de autoteste de HIV

A medida, portanto, não vale para os novos cadastros de PrEP, que vão seguir os fluxos vigentes atuais, com acolhimento, testagem e consulta normalmente. Só a partir do primeiro retorno do usuário à unidade de saúde, após 30 dias, é que a dispensação de medicamentos junto aos kits de autotestes de HIV será autorizada. 

Os cinco kits de autotestes de HIV são de uso exclusivo para a pessoa que está em uso da PrEP, para automonitoramento do status sorológico e, dessa forma, não deve ser repassado a terceiros. Em caso de positividade do autoteste, procure uma das 26 unidades de saúde especializadas em DST/Aids de São Paulo para confirmação do resultado.

E é importante lembrar que não há evidências científicas suficientes que comprovem o uso da PrEP como forma de prevenção ao novo coronavírus. O mesmo vale para a Profilaxia Pós-Exposição (PEP) e para a Terapira Antirretroviral (TARV).

Pra Cego Ver: Arte composta por duas caixas, sendo uma cinza ao fundo e outra vermelha em primeiro plano. Dentro da caixa vermelha, há duas setas brancas para direita e o texto em branco Prevenção no Sexo

Confira algumas dicas para prevenção ao coronavírus e também às infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) nesta época de quarentena:

- Como a orientação é ficar em casa e evitar contato físico, sair ou receber pessoas para a prática sexual não é o indicado. A relação sexual é repleta de aproximação, beijos e troca de fluidos, práticas que potencializam a transmissão da COVID-19 e também de outros vírus, como o da gripe.

- Também não é recomendado ir para saunas, cinemas ou festas de sexo. As casas de entretenimento adulto da capital paulista já fecharam como medida protetiva ao novo coronavírus.

- Se você está em isolamento com um parceiro ou uma parceira e vocês não estão gripados nem com coronavírus, e vocês já mantinham relações sexuais ou você avalia que há potencial para a realização do sexo, não se esqueça da proteção ao HIV e às outras infecções sexualmente transmissíveis (ISTs): use camisinha e gel lubrificante. Caso faça uso da Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) ao HIV, mantenha o uso diário dos medicamentos. Inclusive, como está disponível acima, estendemos a oferta dos comprimidos da PrEP para 120 dias para evitar os deslocamentos das pessoas pela cidade. 

- Agora, caso você ou seu parceiro(a) está com algum sintoma gripal, especialmente tosse, dor de garganta, febre e/ou dificuldade para respirar, evite o sexo e se mantenha isolado, adotando as recomendações da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo, de uso de máscaras e outras formas de prevenção até quando buscar uma unidade de saúde.

- Mesmo em quarentena, a camisinha saiu, rompeu ou não foi usada? A Profilaxia Pós-Exposição (PEP) deve ser buscada para prevenção ao HIV. As 60 unidades municipais de saúde de São Paulo que oferecem a PEP gratuitamente continuam atendendo essa demanda. A PEP deve ser iniciada em até 72 horas depois dessa situação de risco, de preferência nas duas primeiras horas.

- Os aplicativos de relacionamento podem continuar sendo utilizados.

- Objetos sexuais devem ser lavados com água e sabão. A camisinha deve ser trocada caso os brinquedos sexuais sejam usados por mais de uma pessoa; o ideal é não compartilhá-los.

- Como o novo coronavírus pode ser eliminado pelas fezes, deve-se ter atenção redobrada na prática do sexo oral-anal. A recomendação é utilizar barreiras de látex. Vale abrir a camisinha masculina (externa), feminina (interna) ou luvas de borracha, por exemplo.

- Aproveite o período para conhecer mais o seu corpo e aprender a forma correta de usar o preservativo masculino (externo) e também o feminino (interno), já que muitas pessoas ainda têm dúvidas.

- Pessoas que vivem com HIV/Aids: é importante manter o tratamento para chegar ou manter a carga viral indetectável (quantidade baixa de vírus no corpo). Com a carga viral indetectável por pelo menos seis meses, o vírus não é transmitido nas relações sexuais. É o I=I (Indetectável = Intransmissível). A dispensação da terapia antirretroviral (TARV) também foi ampliada para 120 dias, como pode ser lido acima.

- Testagem: se houver dúvida e for preciso se testar para o HIV, sífilis ou hepatites B e C, as unidades da Rede Municipal Especializada (RME) em DST/Aids de São Paulo estão funcionando e não vão fechar. A recomendação é ficar em casa, mas caso precise, vá até a um dos serviços. 

Pra Cego Ver: Arte composta por duas caixas, sendo uma cinza ao fundo e outra vermelha em primeiro plano. Dentro da caixa vermelha, há duas setas brancas para direita e o texto em branco Outras informações
Saiba mais sobre o Coronavírus, incluindo formas de prevenção, sintomas e as principais perguntas e respostas sobre o assunto.

Baixe o cartaz abaixo e compartilhe:

 #PraCegoVer: ORIENTAÇÕES SOBRE O COVID-19. NOVO CORONAVÍRUS. O QUE É: O coronavírus faz parte de uma grande família viral que causa infecções respiratórias em seres humanos e em animais. Em janeiro de 2020, foram identificados casos de pneumonia de causa desconhecida ocorridos na cidade de Wuhan, região central da China, onde houve a detecção de um novo coronavírus, que ainda não havia sido identificado em humanos. SINTOMAS: Febre, Tosse/dificuldade de respirar Ou contato com  caso suspeito para coronavírus. Os principais sintomas para identificar a doença são semelhantes à gripe ou resfriado: Febre, Tosse, Dificuldade para respirar. O QUE DEVO FAZER? SE VOCÊ TEVE CONTATO COM CASOS SUSPEITOS OU APRESENTAR OS SINTOMAS, PROCURE UMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE Cubra sempre o nariz e a boca ao tossir e ao espirrar Utilize lenços descartáveis, jogue-os no lixo após o uso. Lave as mãos frequentemente com água e sabão. Evite tocar olhos, nariz e boca. Não compartilhe objetos de uso pessoal. Evite aglomerações e ir ao trabalho/escola. Logos do Sistema Único de Saúde, COVISA e da Secretaria Municipal da Saúde - SMS

Botão cinza chumbo, com fina tarja preta na parte superior,escrito Página Anterior, com uma seta à esquerda.Botão cinza chumbo, com fina tarja preta na parte superior,escrito Home. Há um ícone de uma casa à esquerda.